terça-feira, 27 de dezembro de 2016

MULHERES MAU FEITIO



(...)Mulheres de mau feito são autênticos tanques de guerra. Elas não deixam que se passe por cima…elas mesmas tomam esse comando. Mas fazem-nos apenas para não serem desvalorizadas ou tratadas como algum tipo de biscate.(...)
(...)Não são as mulheres que tem mau feito. Os homens é que não sabem fazer escolhas…“Gourmet”.(...)
“Tenho por hábito fugir de mulheres com mau feito a sete pés.” – Dizia-me um amigo há dias. Há várias razões que podem evidenciar um determinado tipo de personalidade nas mulheres que muitas vezes é fruto do que elas fizeram e do que não foi feito às mesmas.
Ou seja, existe no amor uma lei invariavelmente suculenta que todos gostamos. O retorno. Ainda que muitos possam dizer ou hastear a bandeira do “ Tenho é de gostar de mim”…é treta. O “ Tenho é de gostar de mim” surge apenas no seguimento do “Eu fiz e não fizeram por mim” e logo invariavelmente a ideia de “Eu tenho de gostar de mim” passa a ganhar um valor extra. Na verdade encontrar um amor é a tentativa de encontrar pedaços de curas de falhas em mim. As pessoas que tem mau feito e que por norma gritam aos sete cantos: “ Eu sou como sou”….é tudo treta.
Na verdade a ideia do “ Eu sou como sou” surge, porque nunca apareceu ninguém que a deixasse de pernas bambas e evidenciasse nela, tudo o que não é e gostaria de aprender a ser. Este “ Eu sou como sou” acaba por ser uma chamada de atenção, um letreiro num cartaz que não é mais do que: “ És capaz?”. És capaz de amar como devo ser amada? És capaz de compreender como devo ser compreendida? És capaz de valorizar como devo ser valorizada?
És capaz de ser para mim o que sou para ti? Então…este “Sou como sou” assusta em certa medida, porque em certa medida também, os homens não querem perder tempo com a dificuldade. Eles gostam de se encontrar na facilidade. E na verdade elas deleitam-se com a incapacidade do homem que se perde em justificativas falhas de si mesmo. Quando eles pensam que estão a chegar lá…já elas fecharam a porta e perdem-se de vista no horizonte.
Partindo do pressuposto de que amor dado é amor recebido e não o tendo eu a minha “dívida” saldada nesse balancear entre o ativo e o passivo das minhas contas amorosas, é natural que se criem raízes que desmistifiquem a natureza do amor e produzam seres descrentes na ideia do retorno. Aliás, como não existir, tantas são as falhas resultantes do ato da conquista, da paixão, do fogo, do tesão. Ainda que parem por uns momentos e digam: “ Mas isso do que falas não é amor! Fogo, tesão, conquista, paixão” Amigos (as) é o prenúncio do que fazes hoje, como ages hoje, de que forma tocas e te comportas que estende a tua passadeira do amor.
O tamanho da mesma…depende sempre do tamanho da tua vontade. E o tamanho da tua vontade valida a consequência do que fizeste, no ato de desejar para ti, o que te propuseste a conquistar.
Não há mulheres de mau feito. Há mulheres mal amadas, mal cuidadas, mal valorizadas. Não me venham com tretas que mulheres de mau feitio são assim…porque simplesmente são loucas e desvairadas! Ninguém nasce com mau feitio, como ninguém nasce idiota, como ninguém nasce com ausência de amor, grandeza ou fraqueza no mesmo. A verdade é esta. E a verdade é que os homens fogem maioritariamente a sete pés destas mulheres, porque a sua capacidade de amor para as mesmas é falha. Eles tem essa noção.
O homem quer e sempre quis de alguma forma o galardão do insubmisso. Mas para deixar de ser um lado é necessário que o outro se prostre a si. Mulheres de mau feito são autênticos tanques de guerra. Elas não deixam que se passe por cima…elas mesmas tomam esse comando. Mas fazem-nos apenas para não serem desvalorizadas ou tratadas como algum tipo de biscate. E os homens adoram mulher que de certa forma não dê muito trabalho.
A verdade é que há mulheres que por A mais B foram negligenciadas de várias formas. Falta e falhas de amor de pais, ausência de afetos, ausência de atenção, foram humilhadas, traídas, desclassificadas, subjugadas, violadas emocionalmente, ficaram descaracterizadas, como um quadro apenas de uma única cor à espera que alguém o possa pintar do sonho em segredo que acalentam.
Detesto a ideia de que uma mulher de mau feitio…é assim porque o é. As mulheres de mau feito são conotadas como desequilibradas, eu conoto como equilibradas. Porque ao contrário das outras que se perdem em amores e desamores, estas tem o verdadeiro sentido do sofrimento que carregam e por conseguinte a sua visão está muito mais acutilante e as suas defesas muito mais extensas.
A mulher que tem mau feitio tem uma valorização de capacidade de si mesma mais autónoma. Não falha a ideia nelas da desonra no amor. Pelo contrário. A mulher mau feito não se deleita em procurar a outra parte de si no outro. Ela capacita a ideia de um estado educativo que o outro, necessita de possuir como valorização, na crença de que ela vale mais do que se imagina. Porque é mulher, porque carece de respeito, de um olhar digno, de um valor que acresça ao outro um estatuto que lhes permita olhar um no outro, apenas como um só.
Elas reconhecem a energia desperdiçada e por conseguinte canalizam para si, para a sua estrutura a paciência que se exige no ato de merecer o melhor. Todas as mulheres de suposto mau feito que conheci eram brilhantes. Porque canalizam o valor da mulher como ele deve ser canalizado. Ainda que as falhas resultantes de amores idos, de ausências de afetos, de colocar a chave na porta e verem-se imensamente sozinhas, há nesta ideologia patente de paciência entre meio de lágrimas, um valor imenso de uma estrutura que se deseja forte e cheia de personalidade.
Elas não fazem parte do leque das facilidades, dos loopings amorosos, do “dar” por “dar”. Elas fazem parte de uma elite de soldados que entendem o amor na sua forma mais crua e nua. Porque simplesmente souberam aproveitar as migalhas de amor, souberam ler nas entrelinhas o conceito necessário para não serem isentas de amor por outros. Ao adquirir esta suposta presunção de serem livres, descomplexadas, desinibidas, fortes, audazes, inteligentes e não se confunda portanto, que reside aqui o conceito escabroso de que isso, se deve ao fato de serem as ovelhas negras do amor.
Não são as mulheres que tem mau feito. Os homens é que não sabem fazer escolhas…“Gourmet”.

Um comentário:

Claudia Dias disse...

Podia comentar aqui 1001 coisas, mas... antes de avançar para isso, pergunto: o que é uma mulher de mau feitio? o que é mau feitio? podes definir? :P