O AEROPORTO DO AMOR




Nas várias situações amorosas que passamos na nossa vida, talvez a distância seja uma das quais onde o desenvolver da paciência, requer certas doses de determinação no que toca ao desejo de ter nos braços quem queremos no momento e não temos.

Eu já passei por esta situação duas vezes. De namorar , ter alguém, que vivia no outro lado do mundo. Ao todo contando o tempo de espera no que respeita às duas pessoas, poderia efectivar em tempo de espera global...5 anos. Cinco anos em que estive...e não estive sozinho. Não estava sozinho no que toca ao compromisso de namoro, mas estava sozinho no que diz respeito ao olhar para o lado e perceber que não havia presença efetiva.

Não podia ter almoços ou jantares românticos, não podia ir a um cinema, museu, teatro, fazer as apresentações ou socializar com os amigos e fazer-me acompanhar pela minha "cara metade".

Ninguém nasce ensinado neste tipo de situações e forma de levar um namoro onde presencialmente nada existe a não ser mesmo por estas vias tecnológicas onde se esbate ligeiramente as distâncias dando com isso algum consolo momentâneo.

Muitos deduzem e acreditam que arrumar alguma namorada que viva em outro ponto do planeta é algo impensável. Impossível diriam muitos, como perfeitamente possível dirão muitos outros. Apesar de não ter nascido ensinado ou com o decorrer do tempo, ter tido algum tipo de preparação para estes amores que surgem, sempre levei de boa estes namoros via "Online" e com características "sui generis" dadas obviamente as suas distâncias e dificuldades.

Alguns dão certo e tem pernas para andar e outros perdem-se invariavelmente pelo caminho. Os medos, receios às vezes infundados, a falta de conhecimento um do outro, os ciúmes, os desafios emocionais que vão surgindo, as descrenças, as dúvidas, as formas como cada um vai agindo perante variadas situações, vão alterando o panorama emocional e forma como a visão de cada um capacita ou descapacita, para uma continuidade.

Costumo dizer que no meu barco só entra e rema quem tiver perfil e capacitado para isso. Sem mentiras, sem meios termos, sem omissões, sem invenções...sem medos! E posso dar-me por feliz se disser,  que tive uma sorte danada durante toda a minha vida com as pessoas que pude ter o privilégio de conhecer e que comigo, decidiram arriscar, decidiram dar o voto de confiança e de entrar no meu barco, que nem sempre foi estável, mas que foi sempre adornado com toda a confiança e carinho. Já nem passa mais pela questão se lá na frente deu certo ou errado. O certo e o errado tem conotações deveras subjetivas.

Aquele primeiro impacto no aeroporto onde finalmente conheces que contigo privou via online semanas, meses e anos é qualquer coisa de impagável. Talvez alguns possam perceber e outros não. A questão nem passa pela percepção de uns e outros, mas sim e sempre pela coragem e determinação que o amor ganha na esperança, na perseverança e capacidade que tem de mover montanhas para efetivar sonhos e objetivos.

Estive em 4 aeroportos diferentes, desejoso sempre e com um olhar de esperança, de coração pujante e saltitante de que : "Today is the Day!"  É quase como dar a volta ao mundo em busca de um amor. E ao contrário do que se possa pensar, não perdi nada de nada, nunca me arrependi da possível ideia de um tempo perdido em ilusões de amores.

Sempre achei que a vida é feita e recheada de intensas conexões, seja com a pessoa da porta ao lado, do prédio que fica do outro lado da rua ou simplesmente  do outro lado do mundo.

Poder olhar para trás e ter tido já tantas experiências, tantas conexões, esperas, decisões e indecisões é a prova de que o amor não vive por si só num único lugar.

E que no lugar onde ele existe...seja o lugar onde eu possa sempre estar.






Comentários

Postagens mais visitadas