A ESSÊNCIA DO SILÊNCIO



Ás vezes recolhes te por necessidade. E questionas-te, de onde poderá e do que poderá advir essa necessidade? Será por ti? Pelos outros? Serás tu diferente ou os outros indiferentes? Será que tu não entendes ou os outros não te percebem? A forma como te comportas gera diversas emoções, fantasias sublimares que às vezes só mesmo tu entendes. Gostas de te colocar à parte pela necessidade do teu espaço, ou pela dificuldade de te inserires? 

O mundo gira de uma forma veloz, demasiado veloz às vezes para poderes caracterizar o teu pensamento e ideias de forma serena. Tudo é um turbilhão de ideias, vontades, gestos, reparos, sentimentos diversos. Mas quando chega a altura de te perguntares quem és...reparas num sem número de respostas. És aquilo que fizeram de ti? És aquilo que fizeste tu dos outros? Ou a consequência, é a ilustração do livro que escrevemos no nosso caminho? Que lugar seria o desejável para estares? Ou lugar nenhum?

-Diz-me, porque precisas de estar sozinho?
-E porque não?
-Não se vive no silêncio amigo!
-Não tenho medo do silêncio...tenho receio é dos gritos que ecoam em  mim.
-Mata-os em ti então!
-Não posso!! Não posso!!
-Porque não!?
-Eles são a razão do meu viver...

Comentários

Claudia Dias disse…
Não desiludes! Gostei deste texto mais breve mas que diz muito.

Postagens mais visitadas