MULHER É UM...BICHO CARO!



Voltaire dizia: Quando se trata de dinheiro todos tem a mesma religião. Ao longo dos anos e fugindo ás hipocrisias naturais que todos possuímos o conforto de desejo financeiro, entre homens e mulheres é perfeitamente natural. Mas o saber escolher, perceber a escolha e entender as escolhas que vamos fazendo para a nossa vida , isso sim, reveste-se de um importância grande. Li algures que mulher quer mesmo é um pai. Não um pai naturalmente biológico, mas um pai no sentido figurativo. Carinho, atenção, amor, segurança, conselheiro, Homem com H grande que possa fazer com que ela se sinta nos braços de uma caixa forte. 

Não há como fugir muito a esta ideia sem querer traçar perfis psicológicos ou julgamentos tendenciosos. Todos gostamos da ideia do que o dinheiro proporciona. Homens e mulheres vivem de tentações, sendo a maior delas o dinheiro e acima de tudo o que ele pode trazer de bom para as suas vidas. Para mim e apesar da imensa importância que o dinheiro carrega consigo e o que ele pode proporcionar existe e existirá sempre uma escolha que se reveste de maior importância ainda. E essa escolha define-se pela mulher que nos acompanha. E para perceber isso, teremos sempre de perceber os seus intentos, a sua forma de estar, o meio que convive, o que nos trás e dá de bom, os afectos, o carinho despretensioso, a forma como trata o seu semelhante, o que valoriza, o que tem realmente significado na sua vida. O modo como trata e olha os pais, os seus interesses e a sua capacidade de sofrimento. São factores essenciais nas escolhas que fazemos e desejamos para nós. O poder aquisitivo, o acto de ter, possuir é a forma mais fácil de conseguirmos ter para nós a mulher que desejamos. Pecamos pela soberba. As mulheres pecam pelo interesse. 

Durante anos deparei-me com todo o tipo de mulher e situação. Fossem conhecidas, amigas, pobres e ricas, sofredoras e lutadoras ou felizes e inconstantes.Todas sem excepção procuravam, como todos procuramos, o seu lugar ao sol. Fosse por uma amor, profissão, status, dinheiro, carinho, desejo, todas queriam realizar os seus Objectivos, uns mais pretensiosos  que outros, riqueza, poder, ostentação ou não, vamos delineando todos como peças de puzzle o que vai servindo e encaixando e o que não nos serve nos intentos da vida.

Sempre aprendi que devemos escolher a mulher pelo que ela é...e nunca pelo que ela possui. É chamativo possuirmos bons carros, belas casas, profissões de renome? Sem dúvida! Poderemos dizer que é meio caminho andado para a felicidade. Mas será mesmo? Quantos não são os ricos que são loucos? Quantos não são os indivíduos que possuem em números aquilo que não possuem na alma? E quanto dessa "alegria" momentânea, não nos trás também dissabores e insucesso? As pessoas tem um pavor  do sofrimento, da falta, da falha e a compensação, para que nada possa jamais dar errado é o dinheiro. O dinheiro será talvez o santo gral, a salvação de um mundo cego e inconsequente.

Muitas vezes e ao longo dos anos fui acusado de sistematicamente, dar pouca importância ao dinheiro e que amor e uma cabana será sempre uma utopia, que principalmente nos dias de hoje que correm é completamente irreal. Nós não podemos lutar exaustivamente contra o mundo, pensamentos, deduções, formas  de ensinamentos, valores, criações e estados de espírito que levam tantos e tantas a tomar as suas próprias rédeas da vida numa aposta que a cada um pertence.   

Eu que já tive oportunidade de experenciar todo o tipo de cores e sabores mundanos, viagens, continentes diferentes, culturas diferenciadas, todo o tipo de gente e gentinha,  mulheres, saídas, alegrias, sofrimentos, eu pessoalmente que já passei por tantas tempestades na vida, continuo a acreditar que o foco essencial está na escolha sempre de alguém que tenha um equilíbrio emocional suficientemente forte para fazer remar o barco num só caminho. As pessoas perdem-se muitas vezes pelo medo, falta de coragem e instabilidade tantas vezes criadas e tão só pelos mesmos. O pânico gerado por ideias pré concebidas leva a um desgaste emocional enorme de nós para os outros e dos outros para nós. Porque não existe capacidade de sofrimento. Nós passamos a ser hoje pacotes de fast food. Perfeitamente descartáveis mediante os objetivos e deduções que vamos tendo para nós. Brilha...quem mais reluz. E o que mais brilhar é o que nos vai servindo os intentos da satisfação pessoal. Tem uma frase inglesa que diz: "Sow me the money, and i give to you my pussy". Não quero parecer moralista. Sei que ás vezes o sou. Mas sou um falso moralista muitas vezes. Mas sou um moralista, moralizado por aquilo que acho e acharei sempre correto deduzir no que concerne à importância...do que considero acima de tudo e mais alguma coisa. 

 Por sermos seres individualizados e estruturados de diferentes formas temos por objetivo caminhar na direcção que acreditamos ser a mais correta e acertiva. Muitas vezes somos teimosamente complexos nas nossas apreciações e deduções. Mas fazem elas também, essas mesmas deduções parte da nossa vida, é certo!

Ao longo dos anos a frase " Mulher é um bicho caro!" vai se revestindo cada vez mais na força desta selvajaria capitalista, deste terramoto de sentimentos financeiros necessários para chegar ao topo da felicidade em segurança. A diferença entre um anel de diamantes e uma blusa comprada numa feira de rua passou a refletir-se na forma como amamos para muitos. Dizia-me um amigo no outro dia: Quero ver o que será feito das cabeças fúteis onde o dinheiro é a alma do negócio se houver uma catástrofe mundial , onde fiques sem casa, sem comida, não saibas como lidar com essa situação e fiques ás portas rapidamente da morte sem saber como agir". 

O sofrimento, tempestades, passagens da vida onde quase comes o pão que o diabo amassou é tristemente atroz. Mas é uma preparação humana, de falhas, aprendizagens que te preparam sempre para o pior que um dia possa chegar. Porque estaremos preparados nesse dia para o pior. E nesse dia poderemos dar a mão aqueles que outrora vislumbravam o mundo com um conceito de fast food. 

Escolher o que mais nos convém nunca será amor e terá apenas vias de facilitismo para o que delineamos apenas como foco para estarmos numa segurança relativa. É preciso ter alma, é preciso ter querer, é preciso saber, é preciso lutar, é preciso, acima de tudo ver e sentir que o que escolhes hoje poderá ser o reflexo da nossa vida toda. Existem 3 bases que nos devemos guiar sempre: Respeito, amor e confiança. Perde se de um  destes, perde-se o norte. 

Sempre tive para mim que esse "Bicho" caro de difícil manutenção tantas vezes, temos de o olhar de diferentes forma e saber essencialmente analisar a fundo. Por trás de um grande homem, tem sempre de existir uma grande mulher. Pelo menos para o homem  ou mulher que assim ache que terá de ser. Mulher de valor, de entrega, de respeito, que nos valorize e possamos nós valorizar com olhos de ver. Aprendemos tanto com tanta gente e tantas vezes mudamos o conceito de dar e receber. Tantas vezes o quanto ele é tão mutável. Nestas experiências de vida, de sai e entra no nosso mundo, vamos reforçando ou deitando para fora o que não nos seduz como forma de ter, possuir, dar e receber. O que interessa e não interessa. 

Sim, mulher é um bicinho caro...mas só se torna caro quando a futilidade fala mais alto do que o valor intrínseco que cada um de nós tem na forma como desejamos ou não gastar com quem vivemos.

As pessoas andam demasiado depressa, presas, angustiadas com conceitos de felicidade, de gastos e obtenção de desejos atingíveis como grau supremo de segurança. Andamos todos neste desejo de possuir, acalentar o melhor. 

Gaste com uma mulher que faça com que esse dinheiro seja um investimento seguro. Gasta em amor, carinho, admiração, atenção, dedicação, respeito....e terá ela sempre tudo em acréscimo. 

Conheci e conheço pessoas fantásticas, da mesma forma que conheço o oposto. E aprendi das duas formas a seguir-me sempre pela base que tive de "Mulher ser um bicho caro"

E só é caro...quem se faz caro...



Comentários

Claudia Dias disse…
queria comentar mas nem sei como...abordas tanto assunto que dá tanto pano para mangas!

Mas...nem todas as mulheres são bichinhos caros. Não podemos generalizar. Eu, pessoalmente, prefiro mil vezes a blusa vintage da feira do que um anel de diamantes!

E o dinheiro...lá está, não é fundamental à felicidade mas é um enorme contributo! Ah e tal, a saúde é mais importante......pois é, mas eu cá preferia estar doente sendo rica, do que sendo pobre...logo aí isso vai definir em grande escala o acesso que temos a tratamentos de saúde...e isto é só um exemplo!

Enfim, espero que um dia possamos conversar sobre tudo isto e muito mais! ;)

Postagens mais visitadas